quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

DEVANEIANDO: a respeito da preguiça e do descaso

Pois é, aqui estou.
Bom, para escrever essa postagem procurei no Google uma imagem referente a palavra ''pois é'' e o que apareceu foi essa figura acima, o que me lembrou de um costume que adotei ou que intensifiquei durante todo esse ano de 2011.
A preguiça. Ou o simples descaso, que nesse caso é referente à própria vida. Mas claro, como somos seres que vivem em sociedade, tudo o que fazemos afeta os outros, mesmos quando não saímos de casa (pois elas não te encontrarão e não terão suas vidas interferidas de alguma maneira pela sua passagem na frente delas ou por elas). Enfim, tudo o que se faz afeta os outros, até uma simples decisão de não ir para o trabalho, para casa, ou para qualquer lugar para o qual você tenha que ir. Esse ano de 2011 eu não me importei com nada, ou quase nada, e deixei de interferir na vida de muita gente, e isso vai ficar marcado em mim por muito tempo. Ou não, pelo jeito que bloqueio as lembranças ruins... Mas enfim, o caso é que fiquei um ano todo buscando... uma utopia! Aliás esse é um excelente tema, mas não é o de hoje.

Você dorme tarde para ficar na internet pensando que vai poder levantar da cama tão disposto quanto está na frente do computador. As horas se passam até que as costas começam a doer (porque você não se senta direito quando no PC) e o corpo começa a clamar para que a mente, enganada com a super luminosidade da tela, vá finalmente dormir. No dia seguinte você precisa acordar cedo, mas de 5 min em 5 min você ''soneca'' e quando se levanta... a nau já está longe demais, já está tarde. Chega atrasado para tudo, e tem um péssimo desempenho no que faz.
Bom, assim foi meu 2011.
O que motiva isso é a falta do sentimento de compromisso e até de responsabilidade. E à seu tempo esses itens acabam afetando a vida de outro alguém, como a decepção de alguém ao te ver cair. Amigos (poucos) me procuravam para me perguntar o porquê disso, o que que estava acontecendo, porque eu parecia largar tudo. Eu respondia negando tudo e muitas vezes me irritando, me perguntando de ''o que que tu quer com a minha vida já?'', negando que tava largando tudo e que não me importava. Mas eu estava mentido inconscientemente, eu estava largando e não me importando.
Mas é claro, Deus sempre me ajuda, tendo misericórdia de mim. Me enviou um anjo para me incentivar e para me salvar de jogar tudo pro alto, como eu tava louca para fazer.

Eu vejo e percebo que tem muita gente que senta numa cadeira e fica vendo a vida passar. Sinceramente, é o que estou fazendo agora, mas talvez daqui possa vir a ajuda, certo? Têm muito jovem que simplesmente dorme e come, entra na internet e ri do engraçado, e que enterrou ou adiou muitos, senão, todos os sonhos. Como num estado de ''pause'' ou ''hibernar'' e ''suspender''.
Que está confortável onde está porque não dói.

Será que acordo para a vida? Ou vou continuar sonhando?
O sonho talvez nunca mude, mas a textura da minha pele, a força dos meus olhos, de minhas pernas, enfim, tudo isso vai embora com o passar do sol sobre minha cabeça, se vai com cada expirar que gasto.

Palavra de ordem: motivação.
(como se eu fosse realmente me importar com esse tópico acima).

Nenhum comentário: