sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

LIVRO DA VEZ: O Vendedor de Sonhos e a Revolução dos Anônimos

Escrito pelo brasileiro Augusto Cury. Editora: Fontanar.

Obra muito repetitiva, sem clímax ou complicação. Não é uma história em linha reta, mas cheia de altos e baixos. Porém, o livro não tem um objetivo (falando em literatura), ou preparação para algo que vai acontecer. Ao meu ver, o autor o escreveu no entusiasmo de que o primeiro fora um sucesso. Tenta ser engraçado, mas os acontecimentos são bem bobos.

O que faz valer o preço da capa são os discursos do mestre, do Vendedor de Sonhos. Talvez Augusto Cury não tenha expressado bem sua comédia.

Mas deve haver quem goste.

Nenhum comentário: