terça-feira, 15 de dezembro de 2015

DIÁRIO DE CINEMA: (condensado)

Reparei que tenho feito posts para um único filme e com um comentário bem ralo (e besta, né). Por isso, resolvi condensar vários filmes que anotei impressões sucintas em uma única postagem. Os seguintes foram assistidos em 2010.

Matilda


Diretor: Danny Devito
Não é o tipo de filme que procuro ver. Vi por acaso na sessão da tarde. A voz da memina é tão sem emoção. Achei pretencioso em querer ser uma história já clássica e bonita.

Nota: 5,5


Duplex


Incrível! Tem muitas voltas e o enredo é bem elaborado, o ambiente, a situação e tudo mais. Na trilha sonora está "Água de Beber" de Tom Jobim.

Nota: 8,5

Nunca é Tarde Para Amar

Não é tão ruim. Tem umas pegadas bacanas mas umas reflexões sobre a vida não muito boas. É no todo um pouco vago. E fotografia de verão desnecessária.

Nota: 5,5

A Nova Onda do Imperador


Diretor: Mark Dindal
Detalhista e caricato, na forma de desenho que se fazia antes. O personagem Kronk rouba a cena. Mas não é nada sem a complementação do imperador. Dublagem de Selton Mello.

Nota: 7,5

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A Vida Em Trilha Sonoras

Como eu me vejo:



Como meus amigos me veem:



Como minha família me vê:



Como um desconhecido me vê:



Como eu queria ser:



sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

DIÁRIO DE CINEMA: Robôs

Direção: Chris Edge
Co-direção: Carlos Saldanha


Animação. Um robô inventor e tal. Tem umas pegadas maneiras, cenas bem elaboradas mas com uma sequência rápida demais. Tinha tudo para ser um fenômeno, mas há algum erro. Voz de Reynaldo Gianecchini.
 
Nota: 8,0

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

DIÁRIO DE CINEMA: A Guerra dos Canudos


O filme trata da fundação de Canudos, que era contra a república e o seu próprio fim. Romance, mortes e muito drama. Muito de realidade, simplicidade e ignorância do povo.

Nota: 6,5

LIVRO DA VEZ: Mentes Perigosas

Autora: Ana Beatriz Barbosa
Editora: Fontanar

Mentes Perigosas- O psicopata mora ao lado é um livro excelente, prático e objetivo, apesar de ser um pouco repetitivo. Tem casos verídicos de perfis psicopaticos. Não identifiquei nenhum psicopata na minha vida, mas muitos com alguns pontos.